core biopsy

Core Biopsy: Como é o Procedimento?

Meu médico pediu para que eu faça uma Core Biopsy e tenho…

Meu médico pediu para que eu faça uma Core Biopsy e tenho muitas dúvidas a respeito. Como é feito o exame? Ele dói? Para responder a estas e outras perguntas, chamamos o Dr. Gustavo Badan, responsável por procedimentos intervencionistas no Femme – Laboratório da Mulher.

 

Dr. Gustavo, como é a Core Biopsy?

É um tipo de biópsia de mama que pode ser feita através da visualização pelo ultrassom ou pela mamografia estereotáxica. A escolha é feita de acordo com o método de imagem em que a lesão mamária é melhor visualizada.

 

E quais as vantagens deste tipo de biópsia?

É um procedimento rápido que permite obter adequada quantidade de material e elucidar dúvidas diagnósticas. Menos invasivo que a “mamotomia” e é muito útil para esclarecer se o nódulo mamário objeto da biópsia é benigno ou se trata de um câncer de mama.

 

A Core Biopsy é dolorosa?

O exame é muito bem tolerado pela grande maioria das pacientes e, após a localização da lesão, é realizada anestesia local. No Femme – Laboratório da Mulher, atenção especial é dispensada ao conforto das pacientes. Se mesmo após a anestesia ela sentir dor, é só avisar ao médico que este irá interromper o procedimento e fará um reforço na dose do anestésico.

 

Qual é o preparo para o exame?

Não tomar medicações contendo antiagregantes plaquetários, como o ácido acetil salicílico (Aspirina, AAS, Melhoral, Buferin ou Somalgin), clopidrogel (Plavix) e ticlopidina (Ticlid) ou anticoagulantes orais (tais como Marevan, Coumadin ou Varfarin) cinco dias antes do procedimento e dois dias após o exame, com o consentimento do médico assistente.

  • Trazer exames anteriores de ultrassonografia mamária, mamografia e ressonância de mamas, se houver;
  • Não é necessário levar acompanhante para as pacientes maiores de 18 anos.

 

E quais os cuidados que devo ter após a Core Biopsy?

Não é necessário o repouso absoluto, mas algumas ações são recomendadas:

  • Evitar exercícios físicos no dia dos exame;
  • Evitar molhar o curativo compressivo que será colocado após o exame e retirá-lo após 24h;
  • Aplicar compressas de gelo nas primeiras 24h pode diminuir a formação de hematomas;
  • No caso de dor, o uso de analgésicos comuns geralmente é o suficiente.

 

Não deixe de passar pelo médico e realizar os exames pedidos por ele. Faça seu pré-agendamento no Femme – Laboratório da Mulher, através do nosso site, telefone (11 3050-9043) e aplicativo para Android e iOS.

 

agulhamento

O que é o Agulhamento de Mama e como é feito?

É natural que muitas de nós fiquemos com receio ao agendarmos um…

É natural que muitas de nós fiquemos com receio ao agendarmos um agulhamento de mama, mas trata-se de um exame muito simples, conforme explica para o blog do Femme o Dr. Gustavo Badan, responsável por procedimentos intervencionistas no Laboratório da Mulher.

 

Agulhamento: o que é?

 

“É um exame pré-operatório utilizado para localização de lesões não palpáveis da mama”, explica o especialista. “Deve-se agendar o agulhamento preferencialmente no mesmo dia da cirurgia ou, no máximo, 24 horas antes”.

 

Como o Agulhamento é realizado?

 

“Um fio guia metálico é colocado na área da lesão suspeita, sob visão direta do ultrassom ou através da mamografia estereotáxica e sob anestesia local”, descreve Dr. Gustavo. “Isto permite que se marque o local a ser retirado posteriormente pelo cirurgião”.

 

O Procedimento dói ou causa algum desconforto depois?

“Como o exame é feito sob anestesia local, a grande maioria das pacientes não relata desconforto durante ou após a realização do agulhamento”, afirma o médico.

 

Qual é o preparo para o Agulhamento de mama?

Dr. Gustavo diz que não é necessário nenhum preparo específico. Mas é preciso levar exames anteriores de mamografia, ultrassonografia e biópsias mamárias. No dia do procedimento é necessário vir acompanhada.

E quais os cuidados após o exame?

“A paciente não poderá dirigir após o procedimento”, recomenda o especialista, que ainda orienta que a mulher deve evitar esforços físicos e impacto na mama que foi submetida ao procedimento.
13

Não deixe de se consultar com seu médico regularmente e faça seus exames de rotina em um local com alta tecnologia e atendimento humanizado. Faça seu pré-agendamento no Femme – Laboratório da Mulher, através do nosso site, telefone (11 3050-9043) e aplicativo para Android e iOS.

MAMOGRAFIA

Mamografia Digital: Saiba mais sobre o exame

A mamografia é um dos exames que nós mulheres devemos fazer regularmente…

A mamografia é um dos exames que nós mulheres devemos fazer regularmente após os 30 anos, de acordo com pedido feito por seu médico.

 

E com o Outubro Rosa chegando, é hora de relembrarmos a importância do exame. Por isso, conversamos com o Dr. Mario Sergio Amaral Campos, especialista em Imagenologia Mamária do Femme – Laboratório da Mulher.

 

Mamografia Digital e o Câncer de Mama

mamografia

“Sabe-se hoje que o câncer de mama é o tumor maligno que mais causa morte na população feminina”, diz o médico, “e até agora nós não sabemos quem irá desenvolver a doença”.

 

Então, o que fazer? Dr. Mario Sergio responde:

“a mamografia é o único método que comprovadamente reduz a mortalidade da doença em até 30% e quanto mais avançada for a tecnologia, maior será a detecção”.

 

Por isso, a importância deste exame. “A mamografia digital é o que existe de melhor para encontrar as pequenas alterações do início da doença, que consequentemente leva à cura da paciente”.

 

“Fazer este exame em um laboratório que tem expertise no assunto faz toda a diferença”, avalia.

“Pois a utilização da tecnologia de última geração, associada a médicos especialista no diagnóstico do câncer de mama aumentam em muito as chances de encontrar as lesões em uma fase muito inicial, promovendo um tratamento mais simples e com melhores resultados”, explica.
Não deixe de se consultar com seu médico regularmente e faça seus exames de rotina em um local com alta tecnologia e atendimento humanizado.

Faça seu pré-agendamento no Femme – Laboratório da Mulher, através do nosso site, telefone (11 3050-9043) e aplicativo para Android e  iOS.

 

PAAF

PAAF – O que é e como é feito o procedimento?

PAAF significa Punção Aspirativa por Agulha Fina. Parece ser um exame complicado,…

PAAF significa Punção Aspirativa por Agulha Fina. Parece ser um exame complicado, mas não é! Quem explica isso para nossas leitoras é o responsável por procedimentos intervencionistas no Femme – Laboratório da Mulher, Dr. Gustavo Badan.

 

Trata-se de um “tipo de punção na qual uma agulha fina é introduzida na mama, sob anestesia local, e feita através da visualização pelo ultrassom. Assim, o médico identifica o nódulo no ultrassom e então realiza o procedimento”, explica o médico.

 

A PAAF tem o objetivo de “se obter material para a análise das células que compõem o(s) nódulo(s)”, esclarece. Este tipo de biópsia é muito útil para o “esvaziamento completo de cistos palpáveis ou inflamados, promovendo alívio das dores mamárias, sendo esta uma de suas principais indicações”, diz Dr. Gustavo.

 

O especialista lembra que o procedimento também pode ser usado para o diagnóstico dos nódulos mamários, “através da análise anatomopatológica do material obtido, esclarecendo dúvidas diagnósticas”.

 

A PAAF dói?

 

Uma das questões que muitas de nós mulheres costumam fazer sobre este tipo de exame é se ele é doloroso. O médico diz que a PAAF é bem tolerada pela maioria das pacientes e é realizada anestesia local após a localização da lesão.

Ele lembra ainda que no Femme – Laboratório da Mulher, há um cuidado ainda maior. Se a paciente sentir dor mesmo depois da anestesia, basta avisar ao médico, que vai interromper o exame e aplicará um reforço na dose do anestésico.

Após a realização do exame, o material obtido é colocado em lâminas e encaminhado para estudo citológico no setor de Anatomia Patológica do Femme – Laboratório da Mulher, que fará a análise.

 

PAAF – Preparo para o exame

  • Não tomar medicações contendo antiagregantes plaquetários, como o ácido acetil salicílico (Aspirina, AAS, Melhoral, Buferin ou Somalgin), clopidrogel (Plavix) e ticlopidina (Ticlid) ou anticoagulantes orais (tais como Marevan, Coumadin ou Varfarin) cinco dias antes do procedimento e dois dias após o exame, com o consentimento do médico assistente.
  • Trazer exames anteriores de ultrassonografia mamária, mamografia e ressonância de mamas, se houver;
  • Não é necessário levar acompanhante para as pacientes maiores de 18 anos.

 

No Femme – Laboratório da Mulher, você tem à sua disposição alta tecnologia e atendimento humanizado para fazer os exames necessários para o seu pré-natal. Pré-agende pelo nosso site ou pelo aplicativo, disponível para Android e iPhone.

 

mamotomia

Mamotomia: Tudo o que você precisa saber sobre o exame

Exames como a mamotomia são importantes para que nós mulheres descubramos e…

Exames como a mamotomia são importantes para que nós mulheres descubramos e tratemos doenças que podem trazer sérias consequências para nossa saúde.

Para que você saiba tudo sobre a mamotomia, com todas as informações e orientações necessárias para a realização do exame, conversamos com o Profº Dr. Gustavo Machado Badan, coordenador do setor de Procedimentos Intervencionistas de Mamas do Femme – Laboratório da Mulher.

mamotomia

Dr. Gustavo, o que é a Mamotomia?

É um tipo especial de biópsia solicitada para os casos de alterações mamárias suspeitas. Tem o objetivo de estabelecer ou afastar o diagnóstico do câncer de mama. Pode ser feita através da visualização pelo ultrassom, pela mamografia estereotáxica ou até orientada pela ressonância de mamas. A escolha é feita de acordo com o método de imagem em que melhor visualiza a lesão suspeita.

 

Este procedimento é doloroso?

O exame é muito bem tolerado pela grande maioria das pacientes e, após a localização da lesão, é realizada anestesia local. No Femme – Laboratório da Mulher, atenção especial é dispensada ao conforto das mulheres. Se mesmo após a anestesia a paciente sentir dor, é só avisar ao médico que este interromperá o procedimento e fará um reforço na dose do anestésico.

 

No Femme – Laboratório da Mulher, atenção especial é dispensada ao conforto das mulheres. Se mesmo após a anestesia a paciente sentir dor, é só avisar ao médico que este interromperá o procedimento e fará um reforço na dose do anestésico.

Quais as vantagens deste tipo de biópsia?

Permite obter grande quantidade de material, melhorando a precisão do diagnóstico. Diante de resultados benignos, normalmente não há necessidade de cirurgias. Em nossa série, 73,8% dos exames revelaram afecções benignas evitando cirurgias. Além disto, permite que se deixe um “clipe” para demarcar o local biopsiado.

A mamotomia dispensa internação hospitalar e permite rápida recuperação da mulher submetida ao procedimento.

 

O que é o “clipe” deixado na mama após a biópsia e para que serve?

O “clipe” é um marcador, feito de titanium e não faz mal à saúde. Mede cerca de 3,0mm, não há risco de rejeição, é imperceptível, não atrapalha a realização de quaisquer exames e também não “apita” quando a paciente entrar no banco ou no aeroporto, por exemplo.

Serve para demarcar o local da biópsia e, caso a paciente necessite operar, ele será de grande valia na cirurgia. Se o resultado da biópsia for benigno, ele aparecerá nas futuras mamografias e esta região da mama têm uma atenção redobrada pelos médicos que laudam os exames.

 

E qual é o preparo para a Mamotomia?

Não tomar medicações contendo antiagregantes plaquetários como o ácido acetil salicílico (Aspirina, AAS, Melhoral, Buferin ou Somalgin), clopidrogel (Plavix) e Ticlopidina (Ticlid) ou anticoagulantes orais (tais como Marevan, Coumadin ou Varfarin) 5 dias antes do procedimento e 2 dias após o exame, com o consentimento do médico assistente.

Trazer exames anteriores de USG mamária, mamografia e ressonância de mamas, se houver. 

O exame dura aproximadamente 40 minutos e é necessário levar acompanhante. 

Não é necessário jejum.

 

Quais cuidados a paciente deve ter após a Mamotomia?

Evitar exercícios físicos nos 2 primeiros dias após o exame. Evitar molhar o curativo compressivo que será colocado após o exame e retirá-lo após 24h. Aplicar compressas de gelo nas primeiras 24h pode diminuir a formação de hematomas. No caso de dor, o uso de analgésicos comuns geralmente é suficiente.

 

Podem haver intercorrências, doutor?

Apesar de todos os cuidados, é possível a formação de hematomas após a realização do exame. Casos raros de infecções mamárias após o procedimento foram descritos na literatura médica. A equipe de procedimentos de mama está à disposição para resolver qualquer eventual intercorrência e poderá fornecer esclarecimentos adicionais.

 

Não deixe de se consultar com seu médico regularmente e faça seus exames de rotina em um local com alta tecnologia e atendimento humanizado. Faça seu pré-agendamento no Femme – Laboratório da Mulher, através do nosso site, telefone (11 3050-9043) e aplicativo para Android e iOS.

 

mulher em consulta médica

Saiba quais exames de rotina toda mulher deve fazer

  Sua saúde merece um cuidado todo especial. Essa é uma preocupação…

 

Sua saúde merece um cuidado todo especial. Essa é uma preocupação do Femme – Laboratório da Mulher, desde sua fundação. Toda mulher, desde o início da vida sexual até a pós-menopausa, precisa ir ao ginecologista pelo menos uma vez por ano e, a pedido do médico, realizar exames femininos de rotina periodicamente. Veja alguns deles:

 

Papanicolau (Colpocitologia Oncótica)

É a coleta de material do colo do útero para análise em laboratório. O exame é muito importante e deve ser feito regularmente, pois graças a ele, é possível não apenas diagnosticar, mas também determinar o risco que uma mulher tem de desenvolver câncer de colo uterino.

 

Exames de sangue

São tão corriqueiros que muitas acabam se esquecendo de fazer, mas os exames de sangue não devem ser deixados de lado. Eles indicam se devemos nos preocupar com o coração, a tireoide e diabetes.

 

Mamografia

Mulheres com 35 anos ou mais devem fazer uma vez por ano como prevenção ao câncer de mama. Quem tem histórico da doença na família pode começar a fazer o exame ao completar 30 anos de idade.

 

Densitometria Óssea

Exame feito com raios x, que medem a densidade mineral dos ossos, com o objetivo de avaliar se a paciente corre risco de ter osteoporose. Pode ser feito a cada dois anos, se nada foi detectado no último exame.

 

Ultrassom pélvico e transvaginal

Este tipo de ecografia é feito com um transdutor que coleta imagens do interior da vagina, que servem para medir e examinar útero, trompas, colo uterino e ovários, verificando a existência ou não de pólipos, cistos, miomas ou endometriose (doença em que o tecido que envolve o útero é encontrado em local anormal). Também deve ser feito todo ano, após consulta com ginecologista.

 

Estes exames e muitos outros podem ser realizados de forma humanizada e com toda tecnologia nas unidades Femme. Veja qual está mais próxima de você.