gula

Dia da Gula

Sabia que neste dia 26 é comemorado o Dia da Gula? Mas…

Sabia que neste dia 26 é comemorado o Dia da Gula? Mas não se trata de um dia para se empanturrar até passar mal, pelo contrário! A data foi criada para conscientizar as pessoas sobre o distúrbio alimentar. A gula é como qualquer outro vício.

 

Estudos relacionam a compulsão por comida ao psicológico, pessoas que sofrem com este problema geralmente comem exageradamente como forma de compensação para algum tipo de frustração, já que o mecanismo que gera a sensação de apetite é controlado pelo cérebro.

 

Isso significa que você deve ficar atenta caso a vontade de comer se torne uma coisa exagerada, sem controle. Afinal, a gula pode levar a problemas de saúde bem graves, como a obesidade e doenças cardiovasculares.

 

gula

 

gula: EXCESSOS

 

Lembra daquele ditado, “tudo em excesso faz mal”? Então, amiga, comer é fundamental para a nossa sobrevivência, mas tanto na alimentação, como em outros aspectos da nossa vida, é importante buscar o equilíbrio.

 

Ingerir algum alimento, em pequenas quantidades, a cada três horas, é daquelas dicas que ajudam a inibir a vontade excessiva de comer. Que tal uma fruta?

 

Outra recomendação, que faz bem para o corpo por diversos motivos, é manter-se hidratada, beba cerca de dois litros por dia.

 

E para finalizar, a qualquer sinal de problema de saúde, procure seu médico. A pedido dele, faça seus exames em um laboratório com décadas de dedicação à nossa saúde: Femme – Laboratório da Mulher. Você pode pré-agendar seus exames no Femme a qualquer hora e em qualquer lugar, pelo site ou app para Android e iPhone.

 

core biopsy

Core Biopsy: Como é o Procedimento?

Meu médico pediu para que eu faça uma Core Biopsy e tenho…

Meu médico pediu para que eu faça uma Core Biopsy e tenho muitas dúvidas a respeito. Como é feito o exame? Ele dói? Para responder a estas e outras perguntas, chamamos o Dr. Gustavo Badan, responsável por procedimentos intervencionistas no Femme – Laboratório da Mulher.

 

Dr. Gustavo, como é a Core Biopsy?

É um tipo de biópsia de mama que pode ser feita através da visualização pelo ultrassom ou pela mamografia estereotáxica. A escolha é feita de acordo com o método de imagem em que a lesão mamária é melhor visualizada.

 

E quais as vantagens deste tipo de biópsia?

É um procedimento rápido que permite obter adequada quantidade de material e elucidar dúvidas diagnósticas. Menos invasivo que a “mamotomia” e é muito útil para esclarecer se o nódulo mamário objeto da biópsia é benigno ou se trata de um câncer de mama.

 

A Core Biopsy é dolorosa?

O exame é muito bem tolerado pela grande maioria das pacientes e, após a localização da lesão, é realizada anestesia local. No Femme – Laboratório da Mulher, atenção especial é dispensada ao conforto das pacientes. Se mesmo após a anestesia ela sentir dor, é só avisar ao médico que este irá interromper o procedimento e fará um reforço na dose do anestésico.

 

Qual é o preparo para o exame?

Não tomar medicações contendo antiagregantes plaquetários, como o ácido acetil salicílico (Aspirina, AAS, Melhoral, Buferin ou Somalgin), clopidrogel (Plavix) e ticlopidina (Ticlid) ou anticoagulantes orais (tais como Marevan, Coumadin ou Varfarin) cinco dias antes do procedimento e dois dias após o exame, com o consentimento do médico assistente.

  • Trazer exames anteriores de ultrassonografia mamária, mamografia e ressonância de mamas, se houver;
  • Não é necessário levar acompanhante para as pacientes maiores de 18 anos.

 

E quais os cuidados que devo ter após a Core Biopsy?

Não é necessário o repouso absoluto, mas algumas ações são recomendadas:

  • Evitar exercícios físicos no dia dos exame;
  • Evitar molhar o curativo compressivo que será colocado após o exame e retirá-lo após 24h;
  • Aplicar compressas de gelo nas primeiras 24h pode diminuir a formação de hematomas;
  • No caso de dor, o uso de analgésicos comuns geralmente é o suficiente.

 

Não deixe de passar pelo médico e realizar os exames pedidos por ele. Faça seu pré-agendamento no Femme – Laboratório da Mulher, através do nosso site, telefone (11 3050-9043) e aplicativo para Android e iOS.

 

agulhamento

O que é o Agulhamento de Mama e como é feito?

É natural que muitas de nós fiquemos com receio ao agendarmos um…

É natural que muitas de nós fiquemos com receio ao agendarmos um agulhamento de mama, mas trata-se de um exame muito simples, conforme explica para o blog do Femme o Dr. Gustavo Badan, responsável por procedimentos intervencionistas no Laboratório da Mulher.

 

Agulhamento: o que é?

 

“É um exame pré-operatório utilizado para localização de lesões não palpáveis da mama”, explica o especialista. “Deve-se agendar o agulhamento preferencialmente no mesmo dia da cirurgia ou, no máximo, 24 horas antes”.

 

Como o Agulhamento é realizado?

 

“Um fio guia metálico é colocado na área da lesão suspeita, sob visão direta do ultrassom ou através da mamografia estereotáxica e sob anestesia local”, descreve Dr. Gustavo. “Isto permite que se marque o local a ser retirado posteriormente pelo cirurgião”.

 

O Procedimento dói ou causa algum desconforto depois?

“Como o exame é feito sob anestesia local, a grande maioria das pacientes não relata desconforto durante ou após a realização do agulhamento”, afirma o médico.

 

Qual é o preparo para o Agulhamento de mama?

Dr. Gustavo diz que não é necessário nenhum preparo específico. Mas é preciso levar exames anteriores de mamografia, ultrassonografia e biópsias mamárias. No dia do procedimento é necessário vir acompanhada.

E quais os cuidados após o exame?

“A paciente não poderá dirigir após o procedimento”, recomenda o especialista, que ainda orienta que a mulher deve evitar esforços físicos e impacto na mama que foi submetida ao procedimento.
13

Não deixe de se consultar com seu médico regularmente e faça seus exames de rotina em um local com alta tecnologia e atendimento humanizado. Faça seu pré-agendamento no Femme – Laboratório da Mulher, através do nosso site, telefone (11 3050-9043) e aplicativo para Android e iOS.

ultrassonografia

Ultrassonografia de Abdômen Total. Como é o exame?

“Tenho uma ultrassonografia de abdômen total marcada e quero saber mais sobre…

“Tenho uma ultrassonografia de abdômen total marcada e quero saber mais sobre o exame.” Para ajudar você, amiga, buscamos informações com uma especialista no assunto, Dra. Viviane Lopes, mestre em obstetrícia pela Unifesp – Escola Paulista de Medicina e responsável pela Ultrassonografia do Femme – Laboratório da Mulher.

 

“O ultrassom de abdome total tem como finalidade avaliar, diagnosticar e fazer seguimento de possíveis alterações das seguintes estruturas: fígado, vesícula biliar, baço, pâncreas, rins, bexiga, aorta, veia cava inferior e adrenais”, explica a médica.

 

Para quê serve a Ultrassonografia de Abdômen Total?

 

O exame pode diagnosticar vários tipos de doenças, “sendo as mais comuns, tumores e cistos no fígado, pâncreas, baço, rins e adrenais, cálculos na vesícula e nos rins, esteatose hepática (infiltração de gordura no fígado) e placas de ateromatose na aorta”, enumera.

 

Como é feita A ULTRASSONOGRAFIA DE ABDÔMEN TOTAL?

 

No momento do exame, a paciente é deitada na posição dorsal na maca, com a região abdominal anterior exposta, “local onde o médico vai proceder a avaliação com o transdutor do ultrassom para o estudo das estruturas intra-abdominais”, descreve a Dra. Viviane.

 

Antes do exame, é preciso um preparo especial. Deve-se ingerir medicação para reduzir os gases intestinais, diz a especialista, fazer jejum mínimo de seis horas e estar com a bexiga cheia.

 

Não deixe de passar pelo médico e realizar os exames pedidos por ele. Pré-agende suas ultrassonografias no Femme – Laboratório da Mulher, através do nosso site, telefone (11 3050-9043) e aplicativo para Android e iOS.

MAMOGRAFIA

Mamografia Digital: Saiba mais sobre o exame

A mamografia é um dos exames que nós mulheres devemos fazer regularmente…

A mamografia é um dos exames que nós mulheres devemos fazer regularmente após os 30 anos, de acordo com pedido feito por seu médico.

 

E com o Outubro Rosa chegando, é hora de relembrarmos a importância do exame. Por isso, conversamos com o Dr. Mario Sergio Amaral Campos, especialista em Imagenologia Mamária do Femme – Laboratório da Mulher.

 

Mamografia Digital e o Câncer de Mama

mamografia

“Sabe-se hoje que o câncer de mama é o tumor maligno que mais causa morte na população feminina”, diz o médico, “e até agora nós não sabemos quem irá desenvolver a doença”.

 

Então, o que fazer? Dr. Mario Sergio responde:

“a mamografia é o único método que comprovadamente reduz a mortalidade da doença em até 30% e quanto mais avançada for a tecnologia, maior será a detecção”.

 

Por isso, a importância deste exame. “A mamografia digital é o que existe de melhor para encontrar as pequenas alterações do início da doença, que consequentemente leva à cura da paciente”.

 

“Fazer este exame em um laboratório que tem expertise no assunto faz toda a diferença”, avalia.

“Pois a utilização da tecnologia de última geração, associada a médicos especialista no diagnóstico do câncer de mama aumentam em muito as chances de encontrar as lesões em uma fase muito inicial, promovendo um tratamento mais simples e com melhores resultados”, explica.
Não deixe de se consultar com seu médico regularmente e faça seus exames de rotina em um local com alta tecnologia e atendimento humanizado.

Faça seu pré-agendamento no Femme – Laboratório da Mulher, através do nosso site, telefone (11 3050-9043) e aplicativo para Android e  iOS.

 

exames ginecológicos

Ultrassonografia Transvaginal com preparo intestinal. Tudo sobre o exame

A Ultrassonografia Transvaginal com preparo intestinal é um exame comumente solicitado por…

A Ultrassonografia Transvaginal com preparo intestinal é um exame comumente solicitado por ginecologistas. Então, se você nunca o fez, não há o que temer. Para tranquilizar você, que está para fazê-lo, conversamos com a Dra. Viviane Lopes, mestre em obstetrícia pela Unifesp – Escola Paulista de Medicina e coordenadora responsável pelo setor de ultrassonografia do Femme – Laboratório da Mulher.

 

Doutora, para quê serve a Ultrassonografia Transvaginal com preparo intestinal?

 

Este ultrassom, também chamado de US transvaginal para endometriose, tem como objetivo a identificação da presença de endometriose ovariana e identificação e localização das lesões endométricas profundas ou infiltrativas (que penetram mais de 5 mm abaixo do peritônio) da região retrouterina, retossigmoide e do septo retovaginal. Estima-se que ocorra em aproximadamente 15% das mulheres na idade reprodutiva e em até 30% das mulheres inférteis.

 

Para realizar este tipo específico de ultrassom, o médico deve ter o conhecimento específico da doença, experiência com a técnica ultrassonográfica, aparelho de ultrassom adequado. O exame apresenta taxa de detecção de 98% para identificação de endometriose acometendo o retossigmoide e de 95% para endometriose profunda na região retrocervical.

 

E como é feita a Ultrassonografia Transvaginal com preparo intestinal?

 

Para a realização deste exame é necessário realizar previamente o “preparo intestinal”, que proporciona uma redução significativa do resíduo intestinal, principalmente do cólon sigmóide e do reto, para melhor visualização destas estruturas. Esse exame é realizado por via transvaginal e pode ser necessária a introdução de gel vaginal para a melhor caracterização de possíveis focos de endometriose nas paredes vaginais.

 

Como devo me preparar para a Ultrassonografia Transvaginal com preparo intestinal?

 

Como dito anteriormente, é necessário a paciente realizar um preparo intestinal, que consta de dieta e laxante via oral no dia anterior ao exame e enema retal uma a duas horas antes do exame.

 

A Ultrassonografia Transvaginal com preparo intestinal causa algum desconforto?

 

O que pode incomodar mais a paciente é o tempo do exame, que é maior que do ultrassom transvaginal simples, pois além de ver útero e ovários, realiza-se também o estudo específico da endometriose, que será mais demorado conforme o número e a extensão das lesões. Outro fator que pode incomodar um pouco é que pode exigir uma maior movimentação do transdutor, em decorrência da avaliação de segmentos específicos, como por exemplo, as paredes do reto.

 

 

Não deixe de se consultar com seu médico regularmente e faça seus exames de rotina em um local com alta tecnologia e atendimento humanizado. Faça seu pré-agendamento no Femme – Laboratório da Mulher, através do nosso site, telefone (11 3050-9043) e aplicativo para Android e iOS.

PAAF

PAAF – O que é e como é feito o procedimento?

PAAF significa Punção Aspirativa por Agulha Fina. Parece ser um exame complicado,…

PAAF significa Punção Aspirativa por Agulha Fina. Parece ser um exame complicado, mas não é! Quem explica isso para nossas leitoras é o responsável por procedimentos intervencionistas no Femme – Laboratório da Mulher, Dr. Gustavo Badan.

 

Trata-se de um “tipo de punção na qual uma agulha fina é introduzida na mama, sob anestesia local, e feita através da visualização pelo ultrassom. Assim, o médico identifica o nódulo no ultrassom e então realiza o procedimento”, explica o médico.

 

A PAAF tem o objetivo de “se obter material para a análise das células que compõem o(s) nódulo(s)”, esclarece. Este tipo de biópsia é muito útil para o “esvaziamento completo de cistos palpáveis ou inflamados, promovendo alívio das dores mamárias, sendo esta uma de suas principais indicações”, diz Dr. Gustavo.

 

O especialista lembra que o procedimento também pode ser usado para o diagnóstico dos nódulos mamários, “através da análise anatomopatológica do material obtido, esclarecendo dúvidas diagnósticas”.

 

A PAAF dói?

 

Uma das questões que muitas de nós mulheres costumam fazer sobre este tipo de exame é se ele é doloroso. O médico diz que a PAAF é bem tolerada pela maioria das pacientes e é realizada anestesia local após a localização da lesão.

Ele lembra ainda que no Femme – Laboratório da Mulher, há um cuidado ainda maior. Se a paciente sentir dor mesmo depois da anestesia, basta avisar ao médico, que vai interromper o exame e aplicará um reforço na dose do anestésico.

Após a realização do exame, o material obtido é colocado em lâminas e encaminhado para estudo citológico no setor de Anatomia Patológica do Femme – Laboratório da Mulher, que fará a análise.

 

PAAF – Preparo para o exame

  • Não tomar medicações contendo antiagregantes plaquetários, como o ácido acetil salicílico (Aspirina, AAS, Melhoral, Buferin ou Somalgin), clopidrogel (Plavix) e ticlopidina (Ticlid) ou anticoagulantes orais (tais como Marevan, Coumadin ou Varfarin) cinco dias antes do procedimento e dois dias após o exame, com o consentimento do médico assistente.
  • Trazer exames anteriores de ultrassonografia mamária, mamografia e ressonância de mamas, se houver;
  • Não é necessário levar acompanhante para as pacientes maiores de 18 anos.

 

No Femme – Laboratório da Mulher, você tem à sua disposição alta tecnologia e atendimento humanizado para fazer os exames necessários para o seu pré-natal. Pré-agende pelo nosso site ou pelo aplicativo, disponível para Android e iPhone.

 

supergonorreia

Supergonorreia: Entenda o que é e quais os riscos

Nos últimos meses surgiram notícias sobre o surgimento de casos pelo mundo…

Nos últimos meses surgiram notícias sobre o surgimento de casos pelo mundo de uma DST chamada “supergonorreia”.

A OMS – Organização Mundial da Saúde – até emitiu um alerta em julho para que as pessoas não deixem de se prevenir contra doenças sexualmente transmissíveis.

Teodora Wi, epidemiologista da OMS, disse que foram encontrados três casos – na Espanha, França e Japão – em que a infecção foi considerada sem tratamento.

 

Mas o que é essa Supergonorreia? Como ela se difere da gonorreia comum?

Buscamos respostas com a Dra. Simone Ghelman, Coordenadora do setor de Colposcopia do Femme – Laboratório da Mulher.

“A Supergonorreia é uma variação da Gonorreia, que é uma doença causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae que se tornou uma superbactéria, ou seja, desenvolveu mecanismos de resistência a antibióticos e tratamentos existentes para a doença,” explica a médica.

Mas o que gerou essa mutação na bactéria? “Provavelmente, essa resistência foi causada pelo uso irregular dos antibióticos recomendados,” avalia a especialista, que complementa. 

“Segundo as pesquisas mais recentes, a mutação tem capacidade de desenvolver barreiras contra as medicações existentes e recomendadas para o tratamento, e representa uma ameaça à saúde pública global.”

Como a gonorreia comum, é uma DST transmitida também pelo sexo oral, mas que se diferencia pela insucesso do tratamento clínico, afirma a Dra. Simone.

“Em alguns casos não há sintomas, o que acaba impossibilitando o diagnóstico precoce e início do tratamento,” alerta.

“Quando aparentes, os sintomas são: uretrite (inflamação infecciosa da uretra), secreção semelhante a pus pela uretra, aumento do corrimento vaginal, micção dolorosa, dor pélvica, sintomas de infecção da garganta (faringite), coceira anal e conjuntivite (em neonatos).”

supergonorreia

Como diagnosticar a Supergonorreia?

Existem exames para detectar a doença? “Os exames de métodos moleculares permitem a detecção direta do patógeno Neisseria gonorrhoeae pela técnica de PCR,” diz a médica.

“A pesquisa pela cultura bacteriana pode ser realizada, porém algumas interferências na coleta, acondicionamento e transporte da amostra podem diminuir a acurácia do resultado.”

A melhor forma de prevenção da doença, adverte Dra. Simone, é o uso de preservativos. “A diminuição do uso entre adultos jovens foi uma das causas para o aparecimento desta infestação,” explica.

Não deixe de se consultar com seu médico regularmente e faça seus exames de rotina em um local com alta tecnologia e atendimento humanizado. Faça seu pré-agendamento no Femme – Laboratório da Mulher, através do nosso site, telefone (11 3050-9043) e aplicativo para Android e iOS.

 

mamotomia

Mamotomia: Tudo o que você precisa saber sobre o exame

Exames como a mamotomia são importantes para que nós mulheres descubramos e…

Exames como a mamotomia são importantes para que nós mulheres descubramos e tratemos doenças que podem trazer sérias consequências para nossa saúde.

Para que você saiba tudo sobre a mamotomia, com todas as informações e orientações necessárias para a realização do exame, conversamos com o Profº Dr. Gustavo Machado Badan, coordenador do setor de Procedimentos Intervencionistas de Mamas do Femme – Laboratório da Mulher.

mamotomia

Dr. Gustavo, o que é a Mamotomia?

É um tipo especial de biópsia solicitada para os casos de alterações mamárias suspeitas. Tem o objetivo de estabelecer ou afastar o diagnóstico do câncer de mama. Pode ser feita através da visualização pelo ultrassom, pela mamografia estereotáxica ou até orientada pela ressonância de mamas. A escolha é feita de acordo com o método de imagem em que melhor visualiza a lesão suspeita.

 

Este procedimento é doloroso?

O exame é muito bem tolerado pela grande maioria das pacientes e, após a localização da lesão, é realizada anestesia local. No Femme – Laboratório da Mulher, atenção especial é dispensada ao conforto das mulheres. Se mesmo após a anestesia a paciente sentir dor, é só avisar ao médico que este interromperá o procedimento e fará um reforço na dose do anestésico.

 

No Femme – Laboratório da Mulher, atenção especial é dispensada ao conforto das mulheres. Se mesmo após a anestesia a paciente sentir dor, é só avisar ao médico que este interromperá o procedimento e fará um reforço na dose do anestésico.

Quais as vantagens deste tipo de biópsia?

Permite obter grande quantidade de material, melhorando a precisão do diagnóstico. Diante de resultados benignos, normalmente não há necessidade de cirurgias. Em nossa série, 73,8% dos exames revelaram afecções benignas evitando cirurgias. Além disto, permite que se deixe um “clipe” para demarcar o local biopsiado.

A mamotomia dispensa internação hospitalar e permite rápida recuperação da mulher submetida ao procedimento.

 

O que é o “clipe” deixado na mama após a biópsia e para que serve?

O “clipe” é um marcador, feito de titanium e não faz mal à saúde. Mede cerca de 3,0mm, não há risco de rejeição, é imperceptível, não atrapalha a realização de quaisquer exames e também não “apita” quando a paciente entrar no banco ou no aeroporto, por exemplo.

Serve para demarcar o local da biópsia e, caso a paciente necessite operar, ele será de grande valia na cirurgia. Se o resultado da biópsia for benigno, ele aparecerá nas futuras mamografias e esta região da mama têm uma atenção redobrada pelos médicos que laudam os exames.

 

E qual é o preparo para a Mamotomia?

Não tomar medicações contendo antiagregantes plaquetários como o ácido acetil salicílico (Aspirina, AAS, Melhoral, Buferin ou Somalgin), clopidrogel (Plavix) e Ticlopidina (Ticlid) ou anticoagulantes orais (tais como Marevan, Coumadin ou Varfarin) 5 dias antes do procedimento e 2 dias após o exame, com o consentimento do médico assistente.

Trazer exames anteriores de USG mamária, mamografia e ressonância de mamas, se houver. 

O exame dura aproximadamente 40 minutos e é necessário levar acompanhante. 

Não é necessário jejum.

 

Quais cuidados a paciente deve ter após a Mamotomia?

Evitar exercícios físicos nos 2 primeiros dias após o exame. Evitar molhar o curativo compressivo que será colocado após o exame e retirá-lo após 24h. Aplicar compressas de gelo nas primeiras 24h pode diminuir a formação de hematomas. No caso de dor, o uso de analgésicos comuns geralmente é suficiente.

 

Podem haver intercorrências, doutor?

Apesar de todos os cuidados, é possível a formação de hematomas após a realização do exame. Casos raros de infecções mamárias após o procedimento foram descritos na literatura médica. A equipe de procedimentos de mama está à disposição para resolver qualquer eventual intercorrência e poderá fornecer esclarecimentos adicionais.

 

Não deixe de se consultar com seu médico regularmente e faça seus exames de rotina em um local com alta tecnologia e atendimento humanizado. Faça seu pré-agendamento no Femme – Laboratório da Mulher, através do nosso site, telefone (11 3050-9043) e aplicativo para Android e iOS.

 

mulher stress no trabalho

Problemas pouco conhecidos causados pelo estresse: Atriz perdeu dentes

Em entrevista recente ao talk show do apresentador Jimmy Fallon, a atriz…

Em entrevista recente ao talk show do apresentador Jimmy Fallon, a atriz Demi Moore, conhecida por “Ghost – Do Outro Lado da Vida” e “As Panteras – Detonando”, revelou que o stress a levou a perder dentes da frente da boca.

“Adoraria dizer que foi andando de skate ou algo assim bacana, mas de todo modo acho importante compartilhar a causa, que, depois do coração é um dos principais assassinos dos EUA: o estresse.”

demi moore - dentes - stress

Símbolo sexual em filmes como “Striptease”, a estrela de 54 anos, que já foi casada com Bruce Willis e Ashton Kutcher, disse que a situação a deixou mais “humana” e “vulnerável” e que suas filhas se divertiram com seu novo ‘look’.

Mas será que isso é comum? Será que outros problemas de saúde, que aparentemente não têm relação alguma, são provocados pelo estresse?

Em busca destas respostas, a gente procurou o Dr. Roberto Cardoso especialista em Medicina Fetal e coordenador do Núcleo do Propósito no Femme – Laboratório da Mulher.

Doutor, existem outros problemas pouco conhecidos que podem ser ocasionados pelo stress?

Sim. Poderíamos dizer que mesmo que um problema de saúde não seja causado pelo estresse, qualquer problema pode ser agravado pelo estresse. Podemos ter inclusive, redução da libido, impotência sexual e até aumento de peso.

E o que seria o coping, como ele pode auxiliar quem sofre com o estresse?

O coping é aquilo que você faz conscientemente para administrar o estresse, quando você se percebe estressado. Se você está estressado e dorme demais ou bebe demais, sem nenhuma consciência, isso é uma reação inadequada ao stress. Mas se você se percebe estressado e, conscientemente, vai fazer uma atividade que você já sabe que reduz o nível de estresse [isto é o coping]. Outra face do coping seria, após reduzir o nível de ansiedade, buscar a resolução do problema que ocasionou o estresse. Muitos chamam esta segunda etapa de “enfrentamento”, mas eu prefiro chamar de resolução consciente e equilibrada.

Resultados de exames laboratoriais podem apresentar sinais de que a pessoa sofre com estresse?

Sim. Principalmente as substâncias que se relacionam com o estresse crônico (o que causa doença), como por exemplo os níveis de cortisol durante o dia.

Portanto, previna-se. Não deixe de passar pelo médico e realizar os exames pedidos por ele. Faça seu pré-agendamento no Femme – Laboratório da Mulher, através do nosso site, telefone (11 3050-9043) e aplicativo para Android e iOS.