Dia do Combate contra a violência à mulher

25 de Novembro – Dia do Combate contra a Violência à Mulher

O Dia do Combate contra a Violência à Mulher foi inspirado num…

O Dia do Combate contra a Violência à Mulher foi inspirado num fato ocorrido há mais de 50 anos, mas continua mais do que necessária nos dias atuais.

Em 25 de novembro de 1960, três irmãs, Patria, Minerva e Maria Teresa, foram mortas, após terem sido presas e torturadas por protestarem contra o ditador Rafael Leonidas Trujillo, da República Dominicana.

Três décadas depois, em 1999, a ONU instituiu a data. Hoje, quase 20 anos mais tarde, o mundo permanece sendo um lugar muito perigoso para nós, mulheres.

Só no Brasil, de acordo com dados do Instituto Maria da Penha, a cada 7.2 segundos uma mulher é vítima de violência física. Segundo o estudo Mapa da Violência, em 2013, 13 mulheres morreram todos os dias apenas por serem mulheres. Destas, 30% foram assassinadas pelo parceiro ou por um ex.

Em comparação com os dados da década passada, houve um aumento de 21% nas mortes de mulheres brasileiras.

Os números sobre violência sexual contra mulheres no Brasil também preocupam muito. Em 2015, segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, foi registrado 1 estupro a cada 11 minutos. E estima-se que apenas 10% de todos os casos são registrados, já que muitas vítimas acabam não procurando a polícia, por diversas razões, incluindo o machismo na sociedade.

De acordo com o Sistema de Informações de Agravo de Notificação do Ministério da Saúde, cerca de 70% das vítimas de estupro são crianças e adolescentes, e o crime geralmente é cometido por homens conhecidos das vítimas.

E há, em média, 10 estupros coletivos por dia no país, segundo notificações feitas ao sistema público de saúde.

Estes dados são chocantes, mas servem de alerta para que nós nos conscientizemos, como sociedade, que algo precisa ser feito para que, daqui 30 ou 50 anos, o mundo seja outro para nossas filhas e netas.

 

DENUNCIE

Levante a voz e não permita que uma situação de violência contra você ou outra mulher passe despercebida. Um número fácil de decorar, 180, da Central de Atendimento à Mulher, funciona desde 2014 como disque denúncia. A ligação é gratuita e o serviço funciona 24 horas por dia.

Além disso, existem delegacias especializadas no atendimento de mulheres vítimas de violência. Na cidade de São Paulo, há 9 delegacias de defesa da mulher:

 

1ª Delegacia de Defesa da Mulher – Centro
Rua Dr. Bittencourt Rodrigues, 200 – térreo  – São Paulo
Telefone: (11) 3241-3328

 

2ª Delegacia de Defesa da Mulher – Sul
Avenida Onze de julho, 89 – térreo  – São Paulo
Telefone: (11) 5084-2579

 

3ª Delegacia de Defesa da Mulher – Oeste
Avenida Corifeu de Azevedo Marques, 4300 – 2º andar – São Paulo
Telefone: (11) 3768-4664

 

4ª Delegacia de Defesa da Mulher – Norte
Avenida Itaberaba, 731 – 1º andar – São Paulo
Telefone: (11) 3976-2908

 

5ª Delegacia de Defesa da Mulher – Leste
Rua Dr. Corinto Baldoíno Costa, 400 – 2º andar  – São Paulo
Telefone: (11) 2293-3816

 

6ª Delegacia de Defesa da Mulher – Santo Amaro
Rua Sargento Manoel Barbosa da Silva, nº 115 – 2º andar – São Paulo
Telefone: (11) 5521-6068 e 5686-8567

 

7ª Delegacia de Defesa da Mulher – São Miguel Paulista
Rua Sabbado D’Angelo, 46 – Itaquera – térreo – São Paulo
Telefone: (11) 2071-3488

 

8ª Delegacia de Defesa da Mulher – São Mateus
Avenida Osvaldo do Valle Cordeiro, 190 – 2º andar – São Paulo
Telefone: (11) 2742-1701

 

9ª Delegacia de Defesa da Mulher – Pirituba
Avenida Menotti Laudisio, 286 – térreo – São Paulo
Telefone: (11) 3974-8890

 
Sua saúde também merece toda a dedicação de um laboratório que tem na mulher sua razão de ser. Não deixe de se consultar com seu médico regularmente e faça seus exames de rotina em um local com alta tecnologia e atendimento humanizado. Faça seu pré-agendamento no Femme – Laboratório da Mulher, através do nosso site, telefone (11 3050-9043) e aplicativo para Android e iOS.

 

campanha saúde da mulher 2017

Femme realiza a Campanha Saúde da Mulher 2017

O “Amor por Ela” do Femme – Laboratório da Mulher, seu amor…

O “Amor por Ela” do Femme – Laboratório da Mulher, seu amor por nós, vai além da dedicação diária dos seus colaboradores. A preocupação com a melhoria de vida das mulheres brasileiras faz com que o Femme, periodicamente, realize a Campanha Saúde da Mulher.

O tema desta edição 2017 da Campanha, sempre dedicada à educação e prevenção de doenças que atingem a população feminina, é “Cuidando da Saúde e da Alma Feminina”, com diversas palestras sobre o universo da mulher com profissionais renomados.

PROGRAMAÇÃO DA CAMPANHA SAÚDE DA MULHER 2017

 

Dia 21/11 – 19h

A psicóloga Miriam Rodrigues, idealizadora do Programa Educação Emocional Positiva, falará sobre Educação dos Filhos: Palavras Construtivas e Destrutivas.

 

Dia 22/11 – 19h

Dra. Helena Junqueira, ginecologista, irá abordar diversos assuntos relativos ao bem-estar feminino: As Várias Faces da Saúde da Mulher.

 

Dia 23/11 – 19h

O colunista de saúde da BandNews FM, Dr. Paulo Olzon, falará sobre Emagrecimento Saudável: Mitos e Verdades.

 

Dia 29/11 – 19h

Cristiane Romano, psicóloga especialista em terapia de casais e família, abordará o tema Existe o Par Ideal? Erros e Acertos no Relacionamento a Dois.

 

Dia 30/11 – 19h

Dr. Roberto Cardoso, coordenador de Medicina Fetal do Femme – Laboratório da Mulher e autor dos livros “Medicina e Meditação” e “Tetos Profissionais”, falará sobre Por que as Mulheres Sofrem Mais com o Stress?

 

O evento será realizado na Rua Desembargador Eliseu Guilherme, 282, próximo à estação Paraíso do Metrô, no bairro do Paraíso, São Paulo, capital.

Quer participar? Escolha quais palestras você deseja assistir e se inscreva no site http://www.laboratoriodamulher.com.br/campanhasaudedamulher .

 

febre amarela

Febre Amarela em São Paulo: Como se Prevenir?

A notícia de que um macaco bugio foi encontrado morto no Horto…

A notícia de que um macaco bugio foi encontrado morto no Horto Florestal, na Zona Norte de São Paulo, com o vírus da Febre Amarela, alarmou a população da cidade.

Mas não é preciso ficar preocupada. Até o momento não há registro de casos da doença em pessoas na capital e a Prefeitura iniciou uma campanha de vacinação preventiva nos bairros próximos onde foi detectado o vírus.

FEBRE AMARELA: ONDE TOMAR A VACINA?

A campanha de vacinação, que foi ampliada nesta quarta-feira (8), está sendo realizada nas seguintes Unidades Básicas de Saúde:

De segunda a sexta, das 7h às 17h, nas UBS
Jardim Apuanã – R. Hum, 19
Jardim Fontalis – R. Antonio Picarollo, 41
Jardim das Pedras – R. Clóvis Salgado, 220
Jardim Flor de Maio – Av. Nova Paulista, 561

De segunda a sexta, das 7h às 18h, nas UBS 
Horto Florestal – R. Luis Carlos Gentile de Laet, 603
Jardim Rosinha – Av. Dalva de Oliveira, 82
Morada do Sol – R. Assis Brasil, 31
Morro Doce – R. Alberto Calix, 55

De segunda a sexta, das 7h às 19h, nas UBS
Jardim Peri – Av. Peri Ronchetti, 914
Dona Mariquinha Sciascia – R. Dr. José Vicente, 39
Vila Dionísia – R. Chen Ferraz Falcão, 50
Lauzane Paulista – R. Valorbe, 80
Conjunto Ipesp – Av. Profª Virgilia Rodrigues Alves de Carvalho Pinto, 555
Wamberto Dias Costa – R. Paulo César, 60
Vila Aurora – R. Jean Buff, 126
Parque Anhanguera – R. Pierre Renoir, 100
Alpes do Jaraguá – Al. das Limeiras, 46
Integrada City Jaraguá – Estrada de Taipas, 1648
Integrada Elísio Teixeira Leite – R. João Amado Coutinho, 400
Jardim Panamericano – R. Barra da Forquilha, 38F
Jardim Rincão – R. Arroio da Palma, 67
União das Vilas de Taipas – Av. Elísio Teixeira Leite, 7703
Recanto dos Humildes – Av. Pavão, 36A
Vila Caiuba – R. Presidente Vargas, s/n
Ilza Weltman Huztler – R. Cel. Wafrido Carvalho. s/n
Vila Espanhola – Av. João Santos Abreu, 650
Vila Dionísia II – R. Sete de Setembro, 73
Jardim Guarani – R. Santana do Araçuai, 160
Jardim Paulistano – R. Encruzilhada do Sul, 220
Silmarya R. M. Souza – R. Euvaldo Augusto Freire, 20
Anhanguera I – R. Marcela Alves de Cássia, 175
Jardim Ipanema – R. Pedro Ravara, 11A
Jardim Joamar – R. Adalto Bezerra Delgado, 230
Dr. Osvaldo Marçal – R. Antonio Joaquim de Oliveira, 220
Vila Nova Galvão – R. Alpheu Luiz Gasparinni, 116
Integrada de Perus – Pça. Vigário João Gonçalves de Lima, 239
Vila Barbosa – Av. Mandaqui, 197
Vila Terezinha – R. Domingos Francisco Medeiros, 70
Jardim Icarai – R. Almir Dehar, 201
Jardim Ladeira Rosa – R. José da Costa Gavião, 150
Vila Penteado – R. Urupeva, s/n
Parque Edu Chaves – Av. Edu Chaves, 1197

Se a vacinação não chegou à sua região, não se preocupe, amiga! A Prefeitura disse que vai ampliar a campanha para 91 Unidades Básicas de Saúde até dezembro.


FEBRE AMARELA: QUEM PODE TOMAR A VACINA?

Não é todo mundo que pode tomar a vacina contra a Febre Amarela. Segundo o site da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo, NÃO devem se vacinar

  • Crianças com menos de 9 meses de idade;
  • Pacientes com imunodepressão de qualquer natureza;
  • Paciente com câncer;
  • Pacientes infectados pelo HIV;
  • Pacientes em tratamento com drogas imunossupressoras (corticosteroides, quimioterapia, radioterapia, imunomoduladores);
  • Pacientes submetidos a transplante de órgãos;
  • Gestantes.

Cuide de sua saúde. Não deixe de se consultar com seu médico regularmente e faça seus exames de rotina em um local com alta tecnologia e atendimento humanizado. Faça seu pré-agendamento no Femme – Laboratório da Mulher, através do nosso site, telefone (11 3050-9043) e aplicativo para Android e iOS.

novembro azul

Novembro Azul – Homens também precisam se prevenir

Depois do Outubro Rosa, criado para nos recordar diariamente da importância da…

Depois do Outubro Rosa, criado para nos recordar diariamente da importância da prevenção do câncer de mama, começa uma nova campanha, com o objetivo de educar os homens para os riscos de desenvolver o câncer de próstata.

E nós, mulheres, podemos ter um papel importante nisso, conversando e orientando nossos namorados, pais, irmãos e amigos sobre os métodos de prevenção.

Uma pesquisa feita há alguns anos pela Sociedade Brasileira de Urologia revelou que 87% dos pacientes aponta o preconceito com relação ao exame de toque retal como fator que mais atrapalha a prevenção da doença.

Já uma pesquisa Datafolha feita em junho e julho deste ano em sete capitais brasileiras, revelou que para 21% dos entrevistados o exame “não é coisa de homem”.

Segundo estimativa do Instituto Nacional do Câncer, entre o ano passado e 2017 serão registrados 61 mil novos casos de câncer de próstata no Brasil.

 

Conversa que salva vidas

Infelizmente, o machismo na sociedade pode levar muitos de nossos entes queridos à morte por causa da doença. Por isso, uma conversa franca e honesta sobre a importância do exame para prevenir o câncer pode salvar vidas.

Afinal, como ocorre com outros tipos de câncer, se descoberto no início, a chance de cura é maior.

Mas como abordar o assunto? Ao site do Hospital de Câncer de Barretos, o psicólogo Mayron Ávila, do departamento de Urologia da instituição deu dicas.

“Quando estivermos diante de uma situação onde se fala de sexualidade, saúde sexual, gênero e deixarmos de lado as ‘piadas prontas’ para podermos falar com franqueza e não perdermos a oportunidade de contribuir contra a cultura do machismo e suas consequências, algumas drásticas, isso ajudará muito”.

Assim como os exames de rotina femininos, o exame de toque retal para a prevenção do câncer de próstata deve ser feito regularmente depois dos 40 anos.

Amiga, também não negligencie sua saúde. Não deixe de passar pelo médico e realizar os exames pedidos por ele. Faça seu pré-agendamento no Femme – Laboratório da Mulher, através do nosso site, telefone (11 3050-9043) e aplicativo para Android e iOS.