Dia do ciclista e da fotografia

Hoje é Dia do Ciclista e da Fotografia: Comemore as Datas

Muitas de nós não sabem, mas em 19 de agosto são comemoradas…

Muitas de nós não sabem, mas em 19 de agosto são comemoradas duas datas: o Dia Nacional do Ciclista e o Dia Mundial da Fotografia.

Então por que não unir as duas e sair por aí de bike com uma câmera na mão? São Paulo é uma cidade ótima para isso e, como o propósito do Femme – Laboratório da Mulher é o Amor Por Ela, por nós, mulheres, preparamos dicas especiais de passeios para curtir a cidade registrando o que ela tem de mais bela – paisagens, flores, gente feliz, pets – e de quebra, praticando uma atividade física.

Amiga, antes de qualquer coisa, lembre-se: atenção ao andar de bicicleta!

São Paulo tem centenas de quilômetros de ciclofaixas, mas mesmo assim, tome muito cuidado com veículos e pedestres. Mesmo aos sábados, a cidade não diminui seu ritmo. Por isso, fica a dica, preserve a sua segurança e a das pessoas ao seu redor.

Até quem não tem uma bike pode aproveitar o dia e a cidade de forma diferente. Você pode alugar uma nos diversos pontos do Bike Sampa e Ciclo Sampa espalhados por São Paulo, neles você pode usar a bicicleta gratuitamente por 30 minutos e, se passar desse tempo, uma taxa de R$ 5 é cobrada a cada hora.

Dicas para andar de bike com segurança

  • Não se esqueça de itens como capacete e iluminação ou materiais reflexivos na bicicleta ou acessórios;
  • Nada de flertar com o perigo, hein! Não circule na contramão ou em corredores de ônibus, não fure o sinal e não trafegue na calçada;
  • Mantenha distância de portas de carros, a pessoa no veículo pode não perceber que você está vindo e abri-la;
  • Sinalize sempre quando for mudar de faixa ou fazer qualquer outra manobra. Você pratica cidadania e evita acidentes 😉

Dia do ciclista e da fotografia

Onde celebrar o Dia do Ciclista e da Fotografia em SP?

  • Parque do Ibirapuera: possui uma ciclofaixa com 2745 metros para fotografar árvores, lago, aves e uma das mais belas paisagens da capital;
  • Minhocão: aos sábados, depois das 15h, o elevado João Goulart fecha para os carros e oferece uma vista privilegiada do Centro à Zona Oeste da cidade;
  • Parque do Carmo: quem mora na Zona Leste não precisa se deslocar até a Zona Sul ou o Centro de SP para aproveitar. São 390 mil metros quadrados de Mata Atlântica com fauna e flora preservadas;
  • Bike Tour SP: o projeto gratuito oferece tours de bicicleta pela cidade inclusive para quem não sabe pedalar. Aos sábados há três opções de rotas: Centro Novo, Faria Lima e Ibirapuera.

Dicas para fotografar nas ruas

  • Leve pouco equipamento (lembre-se, você estará pedalando). Se preferir, e a câmera for boa, utilize seu smartphone;
  • Evite problemas, sempre peça permissão antes de fotografar alguém;
  • Se você não conhece bem a região; esteja atenta ao seu redor e procure pedalar acompanhada, de preferência em grupo.

Os benefícios da bicicleta para a sua saúde

Se você não tem o hábito mas quer começar a pedalar regularmente, um estudo da Escola Superior de Esportes de Colônia, Alemanha, afirma que seguindo um plano progressivo de pedaladas diárias, você conseguirá benefícios para sua saúde e melhorar sua qualidade de vida.

  • 10 min/dia: melhoria das articulações
  • 20 min/dia: reforço no sistema imunológico
  • 30 min/dia: melhoria cardiovascular
  • 40 min/dia: aumento da capacidade respiratória
  • 50 min/dia: aceleração no metabolismo
  • 60 min/dia: controle de peso, combate estresse e ansiedade

 

Mas antes de realizar qualquer atividade física, lembre-se, procure um médico. A pedido dele, faça seus exames de rotina com tratamento humanizado e alta tecnologia no Femme – Laboratório da Mulher. Pré-agende através do nosso site, telefone (11 3050-9043) e aplicativo para Android e iOS.

 

raiva - como proteger seus pets

Raiva: Agosto é o mês de proteger seu pet

A raiva animal, em especial a canina, é a zoonose mais comum…

A raiva animal, em especial a canina, é a zoonose mais comum e pode causar a morte de pessoas e dos bichinhos.

Por isso, todos os anos são realizadas em agosto, mês em que costuma-se observar um aumento na concentração de cadelas em período fértil, campanhas de vacinação contra a doença.

Em São Paulo não é diferente. A Prefeitura da capital anunciou que a vacinação gratuita de cães e gatos neste ano deve ocorrer entre os dias 14 e 27 de agosto.

Os locais ainda não foram divulgados, mas existem os seguintes postos permanentes de vacinação:

raiva

Os órgãos responsáveis recomendam que cães e gatos saudáveis sejam vacinados a partir dos 3 meses de idade, inclusive fêmeas que estiverem amamentando, prenhes e no cio.

RAIVA: COMO ELA AGE

O sintoma mais característico da raiva nos animais, além da agressividade exacerbada, é a salivação em excesso. A doença tem três tipos de manifestação: raiva furiosa, raiva muda e raiva intestinal.

 

  • Raiva furiosa

Tida como a mais comum, faz com que o animal adote um comportamento depressivo, se escondendo e não respondendo ao dono. O bichinho também recusa alimentos e não consegue beber água. Em poucos dias fica paralisado e morre em questão de horas.

 

  • Raiva muda

Também apresenta os sintomas iniciais da raiva furiosa, mas o pet passa a ficar sonolento. A paralisia surge já no segundo estágio da doença, começando pelo maxilar, e em pouco tempo o quadro se agrava.

 

  • Raiva intestinal

Mais rara, faz com que o animal sofra de vômitos e cólicas por alguns dias, sem sintomas de agressividade ou paralisia, levando à morte.

raiva - como proteger seu pet

RAIVA: COMO EVITÁ-LA

Existem algumas dicas para evitar que seu bichinho pegue a doença, segundo a Prefeitura de São Paulo: evite deixar cães e gatos com livre acesso à rua; ao passear com eles, mantenha-os com coleira e guia.

Mas a principal dica, claro, é a vacinação, todos os anos.

E para evitarmos uma mordida que pode nos transmitir raiva, o Centro de Zoonoses do Município recomenda que não se deve tocar em animais estranhos, feridos ou que estejam se alimentando; nunca se deve apartar brigas entre animais ou mexer com fêmeas e suas crias.

A forma mais comum de contágio em seres humanos por contato com a saliva infectada por meio de mordeduras, arranhaduras e lambeduras de animais com o vírus.

Mas lembre-se! Nem todo ataque de cão ou gato transmite a doença. Por isso, é comum que o animal agressor fique em observação para que se descubra se ele está com raiva.

Sua saúde, assim como a do seu pet, merece atenção. Não deixe de consultar seu médico e, a pedido dele, faça seus exames de rotina em um lugar concebido para atendê-la, com alta tecnologia e atendimento humanizado.

Faça seu pré-agendamento no Femme – Laboratório da Mulher, através do nosso site, telefone (11 3050-9043) e aplicativo para Android e iOS.

 

supergonorreia

Supergonorreia: Entenda o que é e quais os riscos

Nos últimos meses surgiram notícias sobre o surgimento de casos pelo mundo…

Nos últimos meses surgiram notícias sobre o surgimento de casos pelo mundo de uma DST chamada “supergonorreia”.

A OMS – Organização Mundial da Saúde – até emitiu um alerta em julho para que as pessoas não deixem de se prevenir contra doenças sexualmente transmissíveis.

Teodora Wi, epidemiologista da OMS, disse que foram encontrados três casos – na Espanha, França e Japão – em que a infecção foi considerada sem tratamento.

 

Mas o que é essa Supergonorreia? Como ela se difere da gonorreia comum?

Buscamos respostas com a Dra. Simone Ghelman, Coordenadora do setor de Colposcopia do Femme – Laboratório da Mulher.

“A Supergonorreia é uma variação da Gonorreia, que é uma doença causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae que se tornou uma superbactéria, ou seja, desenvolveu mecanismos de resistência a antibióticos e tratamentos existentes para a doença,” explica a médica.

Mas o que gerou essa mutação na bactéria? “Provavelmente, essa resistência foi causada pelo uso irregular dos antibióticos recomendados,” avalia a especialista, que complementa. 

“Segundo as pesquisas mais recentes, a mutação tem capacidade de desenvolver barreiras contra as medicações existentes e recomendadas para o tratamento, e representa uma ameaça à saúde pública global.”

Como a gonorreia comum, é uma DST transmitida também pelo sexo oral, mas que se diferencia pela insucesso do tratamento clínico, afirma a Dra. Simone.

“Em alguns casos não há sintomas, o que acaba impossibilitando o diagnóstico precoce e início do tratamento,” alerta.

“Quando aparentes, os sintomas são: uretrite (inflamação infecciosa da uretra), secreção semelhante a pus pela uretra, aumento do corrimento vaginal, micção dolorosa, dor pélvica, sintomas de infecção da garganta (faringite), coceira anal e conjuntivite (em neonatos).”

supergonorreia

Como diagnosticar a Supergonorreia?

Existem exames para detectar a doença? “Os exames de métodos moleculares permitem a detecção direta do patógeno Neisseria gonorrhoeae pela técnica de PCR,” diz a médica.

“A pesquisa pela cultura bacteriana pode ser realizada, porém algumas interferências na coleta, acondicionamento e transporte da amostra podem diminuir a acurácia do resultado.”

A melhor forma de prevenção da doença, adverte Dra. Simone, é o uso de preservativos. “A diminuição do uso entre adultos jovens foi uma das causas para o aparecimento desta infestação,” explica.

Não deixe de se consultar com seu médico regularmente e faça seus exames de rotina em um local com alta tecnologia e atendimento humanizado. Faça seu pré-agendamento no Femme – Laboratório da Mulher, através do nosso site, telefone (11 3050-9043) e aplicativo para Android e iOS.